Seguidores

terça-feira, 30 de junho de 2015

Desassossego


Jogaste em mim, tua doçura com
fragrância de desejo
Fazendo vibrar meu corpo, a tempos
adormecido, silencioso,

por falta de amor.
Estou aqui, seja como o orvalho a refrescar a
minha alma inquieta, desejosa de ti.
Sejas meu desatino, loucura de
sentimentos e agonia.
Deixa-me saborear essa doçura envolvente
que me desassossega, me inquieta, me aturde.
Me faças estremecer com sua respiração morna
com cheiro de amor.
Quero me perder nesse abismo
sem fim, onde florescem carícias
e beijos ardentes , que me tiram a razão e a consciência
Aquietas minha alma.
Agora o tempo é todo nosso, escorrendo
sorrisos, indiferentes
ao resto do mundo.
Jogaste em mim teu olhar malicioso, como um jasmim
perfumado, inebriante, agora, a luz da paixão brotou
em mim... Vem amor...quero ser tua..

12 comentários:

  1. A provocação com o olhar,depois chega a entrega! Linda inspiração! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga linda!!!

      O olhar nos transporta a um universo de sentimentos...
      Que bom ter você aqui...
      um beijo com amor
      veraportella

      Excluir
  2. Que lindoooo...de uma inspiração que encanta! Parabéns, Verinha...é muito prazeroso te ler! abraços, ania..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ania, sua linda.
      Prazeroso é te receber em meu cantinho.
      Obrigada e tenha um belo dia, um belo e feliz mês de julho.
      beijos
      veraportella

      Excluir
  3. Deixar-nos envolver pela ternura do olhar e desembocar em um grande amor é o mais sublime que possamos conceber a dois!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimada Célia Rangel!!
      Como é bom quando alguém do teu valor e talento nos estimula...incentiva.
      Obrigada querida escritora.
      Abraços
      veraportella

      Excluir
  4. Respostas
    1. Obrigada Bell!

      Um beijo carinhoso..
      veraportella

      Excluir
  5. Respostas
    1. Sem dúvidas , Graças Pires!!!
      Obrigada pela honrosa presença.
      veraportella

      Excluir
  6. Sem o teu apego!
    fiquei triste a pensar
    sem esse desassossego
    em ti, poder sossegar.

    Segurar os teus cabelos,
    para o vento os não levar
    sem dores nos cotovelos
    esses doces lábios beijar.

    Podia ter acontecido,
    mas, não aconteceu
    nem tudo está perdido
    a esperança não morreu!

    Não me passou cartão,
    nem tão pouco quis saber
    quase peguei na sua mão
    não vi o que queria ver.

    Em frente dos meus,
    não de amor famintos
    para mim os olhos teus
    a olharem tão lindos!

    Era isso que eu sonhava,
    convencido que iria acontecer
    porque de perto pensava
    os teus lindos olhos ver!

    Do teu poema, gostei,
    sem desatinar a tua loucura
    a olhar para ela fiquei
    no teu corpo a formosura!

    Bom domingo, um beijinho para ti,
    mana, minha amiga do coração!

    ResponderExcluir
  7. Edumanes poeta rimador!!!
    Esse meu desassossego é algo de ficção ...não costumo desse jeito entregar meu coração..
    mas como és um mano cuidadoso..ja veio me dar sermão. Eu te perdoo querido...um beijo com gratidão..por fazer de minha vida um cesto de emoção, com um irmão tão querido, alegras meu coração. beijnhos
    veraportella

    ResponderExcluir